terça-feira, 21 de setembro de 2010

Curitiba, Marcos Prado



curitiba

vou acabar com a vida de um vício por mês
fumo meu último cigarro pela primeira vez
treme minha mão por um copo pela última vez
nunca mais encontrei a canalha da cannabis
acho que ela foi morar na tumba do lapis
do pó eu vim, vi e venci
e não retornarei ao pó

curitiba
você é a única droga
que eu vou adimitir na minha vida


(Prado, Marcos. Ultralyrics. Curitiba. Travessa dos Editores. 2005)

Um comentário: