domingo, 13 de fevereiro de 2011

do Canto Primeiro dos Cantos de Maldoror de Lautréamont

“Um dia, com os olhos vidrados, minha mãe me disse: “Quando estiveres em tua cama, e ouvires os uivos dos cães no campo, esconde-te sob teu cobertor, não aches graça no que fazem: eles têm a sede insaciável do infinito, como tu, como eu, como o resto dos humanos de rosto pálido e comprido. Até mesmo permito que fiques diante da janela para contemplar este espetáculo, que é bastante sublime.” Desde então, eu respeito o pedido da morta. Eu como os cães, sinto a necessidade do infinito... Não posso não satisfazer esta necessidade!”

p.82


“A grande família universal dos humanos é uma utopia digna da mais medíocre das lógicas.”

p. 86

canto primeiro
os cantos de maldoror
lautréamont

“O medo que lhes inspiras é o tamanho que te respeitam.”

p.88

“Aquele que dorme solta gemidos semelhantes ao de um condenado à morte, até despertar e perceber que a realidade é três vezes pior que o sonho.”

p.98

canto primeiro
os cantos de maldoror

lautréamont

Nenhum comentário:

Postar um comentário