sexta-feira, 25 de março de 2011

dos desastres naturais

I

dos silêncios nem se fale
penas são plumas leves
que ultrapassam as paredes

II

cuidado: frágil
o que pende o que cai
o que se esvai

no jogo das pedras em equilíbrio
que despencam sob o olhar
do turista distraído


III

que restam
dos restos de réstias?

do que se foi
que a água levou

pergunte
-se os outros perguntaram
ou notaram -
a falta

Nenhum comentário:

Postar um comentário