quarta-feira, 19 de dezembro de 2012


longe, num voo – a cabeça vai
num giro sem volta
rumo ao infinito
do abismo estrada
onde a alma vaga
em vísceras dilaceradas
no visível vazio vertigem
o corpo se entrega de olhos fechados
guiando o caminho
meio as sombras ocultam
a névoa de fantasmas
no baile de espectros
da noite de loucura
em que caminha o cavaleiro
com seu cavalo já perdido
e a roupa feita em trapos

Nenhum comentário:

Postar um comentário