sábado, 2 de agosto de 2014

as traças consomem os livros da estante
os devorarão antes, como os ratos que consomem
as vísceras dum animal
como a chuva se reintegra a superfície
e as folhas cantam em vão o vento

Nenhum comentário:

Postar um comentário