sábado, 18 de julho de 2015

eu sou as calçadas sujas da cidade
e as ruas cheias de imundice
o pobre pedinte debaixo da marquise
o vagabundo maluco tomando tubão na rua XV
esquina com Marechal Deodoro

sou os punks e os drogaditos
que trocam suas vidas
pelo prazer suicida da noite

sou também as putas e os travestis
de maquiagem borrada às 2h da manhã
fazendo ponto na cruz machado

me chamam de cidade sorriso
mesmo com os dentes arrancados
e a cabeça encilhada
qual besta quadrada

sou a água da chuva
que escorre pelos bueiros
em que os ratos se divertem

sou a hipocrisia
do dono da padaria
que olha seu par de chinelos
antes de olhar em teus olhos

sou as estatísticas falsas da prefeitura
sem referência nem equiparação alguma
ostentadas nos totens da Clear Chanel

uma cidade humana
que deixa sua essência ir pelo ralo.
eu sou, eu sou mais um.

Nenhum comentário:

Postar um comentário