domingo, 6 de janeiro de 2019

Manifesto ao fracasso


ou Ode ao atraso

I


o arco-íris está em crise:
“meninas vestem rosa
e meninos vestem azul”
o vermelho está proibido
pelo verde e amarelo
desapropriado da nação
e mais uma vez subjugado
ao capital estrangeiro
tingido de sangue

seguimos trabalhando
destilados pelo ódio
tabaco e álcool baratos
esperando o milagre
nas filas da saúde pública
enquanto caçamos palavras
preenchemos a vida vazia
com cruzadinhas e sudokus

nas escolas
as crianças comem bem
apenas em ano de eleição
e com a sorte lançada
despetalando a realidade
bem me quer

mal me quer
mal me quer
mal me quer

o destino ao revés
se apresenta
num cadáver azul
ambulante putrefata
a esperança

esperamos os anos 2000,
anos 2020, como diria Cazuza,
voltamos à idade média
e as bruxas são os santos
que nos queimam


 II

o que vamos fazer,
nós que acreditamos
em dinossauros, em Cristo
e no papai noel?

não há como se enforcar
em um pé de couve,
afinal de contas
nem plantas verdadeiras
temos mais

AGRO É POP
AGRO É TECH
AGRO É TUDO

                    comprimidos
e mais comprimidos
para sobreviver
Rivotril 0,25 mg
Fluoxetina 20 mg
Sulphur 45 CH
Passiflora incarnata 260 mg

enquanto o povo
se caga de fome nas rua
jogando malabares
metáfora de suas vidas no sistema
em que movem a engrenagem

III

que se foda a crítica
os editores dos jornais de jabas literários
o presidente da república
e todos os seus ministros
de dois neurônios cada

pátria livre!
venceremos a elite do atraso
e a cadela do fascismo

facínoras não passarão!
que comam a sua própria merda
a regurgitem
e a comam de volta

IV

calada, a ministra
é uma poeta

disse ela que os professores
ensinam seus alunos
mais de 70 tipos
de identidade sexual

eu me pergunto
onde estamos errando,
pois nem as três pessoas do discurso
singular e plural
conseguimos ensinar aos alunos

que método mirabolante
é este inventado pela esquerda?
temos que descobrir
afinal de contas
assim os alunos vão apreender
mais rápido
a decorar a tabela periódica
a assinarem seus nomes
e fazer as quatro operações básicas
para cumprir as metas
do banco mundial
e se endividarem
para toda a eternidade
parcelando a vida
penhorando o pescoço
em gordas prestaçes

há que se descobrir
o sentido da vida
para além das cifras
dos carimbos
assinaturas
protocolos

se é que há,
ou o sentido
criamos nós mesmos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário